fbpx Alunos De Teologia Do Unasp Conhecem A Galáxia De Gutenberg
18
agosto 2022
       

Alunos do Unasp conhecem “A Galáxia de Gutenberg”

Pastor, Professor e Diretor do Centro de Pesquisas Ellen White no Brasil, Renato Stencel organiza excursão para os alunos de Teologia do Unasp

Teologia do Unasp – Na manhã desta terça-feira (05), alunos do segundo ano do curso de Teologia do Centro Universitário Adventista de São Paulo – Unasp, tiveram um dia atípico no tocante do que se diz ao conceito de liturgia educacional.

Por meio da supervisão do renomado Pastor e Professor Renato Stencel, que também é Diretor do Centro Pesquisas White no Brasil, o grupo teve a oportunidade de conhecer as instalações de uma das maiores editoras de livros do País, a Casa Publicadora Brasileira – CPB.

palestrante | Terceiro Anjo Teologia do Unasp
Pastor e Professor ,Diretor do Centro Pesquisas White no Brasil – Renato Stencel,

A viagem organizada por Stencel, teve início por volta das 06h45 da manhã, quando o corpo discente se reuniu com o mestre no pátio do Unasp. Nesse breve encontro o professor orientou os teologandos sobre as diretrizes a serem seguidas no decorrer da viagem e ainda, fez menção para que a turma aproveitasse ao máximo o passeio e após uma oração, a turma embarcou no ônibus que seguiu de Engenheiro Coelho rumo a Tatuí, também no interior do estado paulista.

Ainda no ônibus, o professor Stencel exibiu um livro ilustrado que continha a história da CPB. O Pastor argumentou que o livro menciona anos de pesquisa e relatos marcantes da editora e que o mesmo merecia ser visto futuramente com um pouco mais de atenção.

Ao chegar na CPB os alunos de Teologia do Unasp foram para o auditório

Ao desembarcar na editora, os alunos de teologia do Unasp foram conduzidos ao auditório onde receberam informações sobre a fundação da CPB, aprenderam sobre a história e ainda tomaram conhecimento do heroísmo daqueles que iniciaram os trabalhos nos primórdios dos anos 1900.

Os alunos de teologia do Unasp foram informados sobre o trabalho dos pioneiros, ficaram ciente quanto ao heroísmo daqueles que iniciaram os trabalhos nos primórdio dos anos 1900.

Após as palestras a equipe foi conduzida por uma viagem por dentro da estrutura organizacional, física e funcional da entidade. Os alunos puderam contemplar todos os setores da Casa, acompanhar todo o processo de uma produção gráfica, desde a criação e finalização de uma obra literária.

Leia Também:

Saiba como lidar com a ansiedade – clique aqui

Mas para os mais ávidos e interessados na lacuna da história, o melhor ainda estava por vir. Depois de conhecerem a modernidade da produção gráfica, o grupo foi submetido ao contexto da história alocado em “algum lugar do passado”. No museu da instituição, os discentes puderam ver como tudo começou. Porém, mais do que isso, puderam conhecer como funcionava a primeira prensa do mundo.

“A Galáxia de Gutenberg e a Teologia do Unasp”

No museu da CPB há uma réplica da prensa de Gutenberg. Por meio de uma demonstração, os estudantes puderam ver como eram realizadas as primeiras impressões no contexto da idade média. Da máquina inovadora do Alemão, cerca de 200 Bíblias foram impressas. Em latim e com letras góticas – imitando a escrita –, as páginas do livro sagrado tinham 42 linhas, divididas em duas colunas. Algumas delas contava com traços decorativos feitos a mão. Devido à grossura dos exemplares – até 1.300 páginas –, cada Bíblia tinha dois volumes. De todas elas, 48 sobrevivem até hoje em museus de diversos países.

Réplica exata da prensa criada por Gutenberg – A Galáxia de Guntenberg

Com letras e símbolos em relevo esculpidos em metal. A invenção de Johannes Gensfleish, conhecido como Gutenberg, permitiu a impressão em massa de livros – que antes eram escritos a mão – começando assim, uma revolução na Europa, em meados de 1455.

Teologia do Unasp
Teologia do Unasp

Após essa visita aos primórdios do impresso, o grupo – sob o comando de Stencel – seguiu viagem para Piracicaba, onde as margens do rio que recebe o nome da cidade, recebeu uma aula especial do professor, no qual relatou o início da fé adventista no Brasil.

O Primeiro Batismo da Igreja

Nas águas do Rio Piracicaba, de acordo com Renato Stencel, em meados de abril de 1895, o primeiro brasileiro se batizava, tornando-se o primeiro membro oficialmente batizado pela Igreja Adventista do Sétimo Dia – IASD.

No Rio Piracicaba, de acordo com Renato Stencel, em meados de abril de 1895, o primeiro brasileiro se batizava, tornando-se o primeiro membro oficialmente batizado pela Igreja Adventista do Sétimo Dia – IASD. Os alunos de Teologia do Unasp tiram fotos

“A cidade de Piracicaba é de fato o marco na qual se realizou o primeiro batismo da história da Igreja no Brasil, havia aqui um rapaz estudioso que, após estudar as escrituras, solicitou o batismo. Guilherme Stein Jr, de 25 anos, em meados de abril de 1895, foi batizado pelo pastor Frank Westphal. Então, Piracicaba tem esse valor histórico por ter sido o local onde se realizou o primeiro batismo da Igreja no Brasil”, disse o Stencel.

Vereadora de Engenheiro Coelho tem grupo de WhatsApp invadido, saiba mais clique aqui

Para os estudantes, o professor classificou o dia como sendo um marco histórico, “Reputo esse dia como sendo um marco, um dia histórico na vida desses estudantes, pois estão tendo contato com esses locais históricos e evidentemente isso traz uma grau de importância na formação dessa classe muito grande, pois ao deslumbrar esses locais nós também somos capazes de visualizar e relembrar como os pioneiros trabalharam se dedicaram e qual o espírito que eles realizaram a obra, a minha intenção como professor é tentar passar esse espirito pioneirismo a todos os alunos”, afirma.

Uma igreja sob tintas – Teologia do Unasp

Numa análise minuciosa, ao relembrar a história da Igreja mundial, o mestre Stencel não titubeou ao responder a pergunta relacionada, “se as origens da IASD, estaria firmada e fundada sob a prensa”.

“A Igreja Adventista, nasceu em um berço de papel e tinta e isso é um fato”

“Nós temos essa forma de caracterizar a igreja no Brasil e fora, a Igreja Adventista, nasceu em um berço de papel e tinta e isso é um fato. Nós não podemos apagar , ou, mesmo, sob hipótese alguma, ignorar o papel e importância da obra de publicações quanto ao surgimento da igreja, as origens, desenvolvimento e a consolidação.

A obra de publicações, ela sempre foi a principal ferramenta que Deus usou para alcançar corações. E nós vemos essa comprovação aqui hoje, o individuo que leu a Bíblia, o Grande Conflito, Caminho a Cristo e pediu o batismo. A obra de publicações é uma cunha que quando o Espirito Santo atua por meio dela, ela convence as pessoas do pecado, do juízo, da justiça e atraí essas pessoas para o reino de Deus”, explica o Diretor do Centro de Pesquisas Ellen G, White no Brasil, mestre, e pastor professor Renato Stencel.

Provérbio do dia, Clique aqui!

“Infinda Gratidão” por parte dos Alunos de Teologia do Unasp

O teologando Victor Pietro, de 24 anos, membro da turma, disse que a viagem foi marcante e cheia de ricas informações que serão levadas pelo resto da vida, acrescenta que o presente ofertado por Renato, ele levará para sempre. “Foi uma viagem incrível, inesquecível. O que o pastor nos proporcionou hoje, ficará para sempre em nossa memória. Só tenho a agradecer por essa oportunidade, o professor é fantástico”, disse.

Victor Pietro, de 24 anos, estudante do 2º ano de Teologia do Unasp

Já o nogueirense Hemerson Lima, de 25, classificou o passeio como: “extraordinário”. “Foi um passeio sensacional, extraordinário, tudo muito bom, maravilhoso, sem palavras para classificar. Só temos que ser gratos, muitíssimos gratos ao professor por nos abençoar com essa viagem, Deus abençoe o professor”.

Para todos os alunos que puderam integrar a excursão, o sentimento que ficou foi de muita gratidão e uma admiração ainda mais que profunda pelo professor Renato Stencel, entre o corpo discente pôde-se ouvir alguém dizer: “ele é um paizão”.

E sim, de fato, durante todo o percurso, o professor avidamente se atentava para o bem estar dos seus discípulos, fosse contando história referente a editora, pioneiros, ou só mesmo para saber se estava tudo bem.

A emoção do professor de Teologia do Unasp

Ainda as margens do Rio, o pastor fez uma oração, relatou os fatos ocorridos no local em 1895 e se emocionou…

Só Deus é quem pode traduzir com clareza o que se passou na mente e coração do professor ao estar diante do local de onde praticamente tudo começou em terras brasileiras. Não há adjetivos para elucidar a “erupção” de sentimento que toma o coração humano quando estamos envolvidos em acontecimentos e causas que amamos.

Marco do início da IASD no Brasil – Teologia do Unasp

E quanto ao professor? Sobre o professor Renato, o que pode-se tentar transcrever sobre sua conduta e espírito ao proporcionar a um grupo de estudante tão inesquecível passeio?

Pode-se afirmar que, Stencel demonstra ser um homem extremamente compromissado, abrasado e abraçado no que se propôs a crer e a ensinar. Além disso, o professor exprime amor, respeito e carinho com os alunos que cruzam o seu caminho, ele incentiva a todos a crescer em conhecimento e graça, motiva para que ponham para fora a criatividade e deixem fluir no mundo o melhor de si.

“Vocês são a primeira turma de muitas que espero poder levar nesse passeio. Portanto, aproveitem e comportem-se e vamos todos fazer uma boa viagem em nome de Jesus”, declarou o pastor e professor ao saírem do Unasp.

(Visited 21 times, 1 visits today)

Deixe seu comentário

Abrir conversa
1
Olá, tudo bem?
Blog do Márcio
Olá, como posso te ajudar?