fbpx Qual o motivo impede que o mecânico coloque as peças nesse Monza?
06
agosto 2020
       

Por que o mecânico não consegue arrumar e nem por as peças nesse carro?

Peças? Antes fosse! Há mais de seis meses na oficina, mecânico pede ajuda da população para conserta um carro chamado Monza Tubarão

“Aquele que pode fazer o bem e não faz, comete pecado”. É com essa frase que quero contar as histórias de Bruno Hanke, 31 anos, casado pai de dois filhos.

E também da “Liliana” – nome fictício – de 28 anos, mãe de dois filhos, viúva e do Monza Tubarão bordô, ano 92 – o carro dela.

Mas o que pode ter de tão interessante na vida dessas duas pessoas chegando ao ponto de envolver um carro que merece ter a história contada?

Para entendermos bem o valor dessa meritocracia, eu vou contar a história que descobri.

O Bruno Hanke é mecânico já mais de 15 anos, atualmente é dono de uma pequena oficina no Bairro Novo B, Sítio Cercado, Curitiba PR.

Apesar de ter outros inúmeros cursos profissionalizantes que realizou, Bruno decidiu seguir os passos do pai, ou seja, ser mecânico mesmo.

O qual começou a trilhar aos nove anos de idade, aos 15 já sabia arrumar defeitos, aos 22, já estava especializado na profissão.

“Eu fiz inúmeros cursos na área de logísticas, mas não consigo trabalhar em locais fechado, não consegui me adaptar, por isso resolvi tocar meu próprio negócio no ramos automobilístico”, conta.

Certo dia, “Liliana” procurou os serviços do Bruno para ajustar a elétrica do Monza, que ela e o esposo tinham acabado de comprar.

Bruno resolveu os problemas pendentes, entregou o carro do casal que foram embora feliz da vida. 

Bem, seria bom se isso fosse um filme e o roteiro de final feliz terminasse aqui não é mesmo?

Então, mas a vida não é ficção e os capítulos vindouros não seriam nada felizes para este casal.

De volta a oficina, repondo as peças

Pouco tempo depois, eles tiveram o carro roubado, por sorte, após alguns dias, o encontraram perto a linha do trem nas proximidades do bairro Sambaqui.

No entanto, o veículo estava muito danificado, o carro foi quase que completamente depenado. 

Chamaram um guincho e novamente o “Tubarão” mergulhou na oficina de Bruno Hanke…

Alguns dias depois, o mecânico – eletricista – ajustou todos os componentes danificados, substituiu o que foi levado pelos ladrões e entregou novamente o carro, em pleno funcionamento, ao casal de amigos.

Após isso, eles mandaram o carro para receber lanternagem e um banho de tinta. O ‘Monzão’ estava “zero de novo”.

Se isso fosse um seriado, poderia terminar a temporada por aqui, todo mundo ia ficar feliz. Mas a história continua…

Numa noite sem luar

Então, numa noite sem luar, de acordo com relato de Liliana para Bruno, o carro apresentou um problema no bairro Boqueirão. Para não importunar o amigo, eles resolveram levar o carro numa oficina da própria região.

Mas o problema é que o tempo passava e o mecânico não dava jeito no carro e o pior, deixou o automóvel um bom tempo no tempo.

“Foi quando ela conversou comigo e disse que queria que fizesse o concerto”, relata Hanke.

O amigo do casal achou que encontraria o carro nas mesmas condições a qual o tinha o visto pela última vez, no entanto…

“Tive uma surpresa negativa!”, conta com espanto.

“O carro estava totalmente destruído, ao abrir o capô observei que faltava inúmeras peças. Inclusive, o motor nem valia mais a pena mandar fazer, estava totalmente destruído”, Frisou.

O Chão desmoronou

Mas isso não foi um grande problema, Bruno pesquisou e conseguiu um novo motor para o Monza. Mesmo no aperto, o casal conseguia arcar com todas as despesas e mão de obra do profissional.

Até que aconteceu a primeira tragédia na vida de Liliana. Em meados de 2018, o marido foi cruelmente assassinado.  Ficando Liliana, os dois filhos e um carro parado na oficina e o aluguel da casa pra pagar…

“O chão dela começou a desmoronar, pouco depois ela me procurou e expôs toda a situação, a dificuldade financeira, era tudo muito delicado”, relata.

“Imagine, ela sozinha tendo que cuidar de dois filhos, pagar aluguel e ainda arcar com as despesas do carro no oficina? Eu disse para ela se acalmar que não iria jogar o carro dela na rua”, conta Bruno.

Solidariedade, precisa dos utensílios

Na medida do possível, Bruno Hanke, comprometeu-se em ajudar a pôr o carro rodando de novo.

“Eu abri mão totalmente de cobrar por meus serviços, ela ficou só de conseguir as peças necessárias”, destaca.

Porém, a dificuldade da viúva foi se agravando e se complicando cada vez mais.

Por fim, ela já não conseguia atender as solicitações para as compras de peças do carro e para piorar a situação, em 2019, a mãe veio a falecer.

O que causou mais uma destruição emocional na jovem viúva.

O carro já está na oficina há mais de seis meses…

Diferente do outro local, não está sendo castigado pelo tempo. Hanke quer devolver o carro, em plenas condições de uso, para a amiga “Liliana”.

O PORQUÊ O MECÂNICO AINDA NÃO CONSEGUIU CONSERTAR E POR AS PEÇAS NESSE MONZA?

Ele afirma que não vai deixar o carro da amiga na rua e nem tampouco abandonar os serviços que começou.

“Não, não vou pôr o carro dela na rua, não vou fazer isso. Eu quero pedir a ajuda de quem puder ajudar pra fazê-lo rodar”, disse.

Por mais que queria agir, o mecânico acaba ficando com as mãos atadas.

“Eu, infelizmente, não tenho condições de comprar todas as peças necessárias para realizar todo o concerto, algumas até consegui comprar.Fizeram um grande estrago no carro, mas eu tenho a mão de obra e isso eu vou fazer com prazer, mas preciso das peças”, conclui.

O apelo

 Bruno pede ajuda de quem puder para doar as peças necessárias para o conserto do veículo.

Segundo ele, seria uma forma de tentar amenizar o sofrimento dela.

Pois, além da dificuldade financeira, atravessa dois lutos num curto espaço de tempo. “Então, quem puder nos ajudar doando as peças, será uma benção de Deus para a vida dela. Ela está passando por dois lutos e muita dificuldade”, lembra,

“Então, gostaria de tentar amenizar essa tristeza amarga, entregando em bom estado o carro dela, esse veículo para ela é de um profundo valor sentimental”, afirma.

Aos interessados em ajudar a restaurar o carro de Liliana, devem entrar em contato com Bruno por meio do telefone:

(41) 3348-8864, ou pelo Whatssap (41) 9 – 9965-2446.

“E quem quiser vir para testemunhar a situação do carro, ou ver como pode ajudar, pode me ligar, vir aqui.Eu preciso muito da ajuda de todos, então quem puder nos ajudar. Então, peço ao Senhor Deus que toque no coração das pessoas que podem, para que nos ajude a tornar a vida dela menos triste e infeliz”, esse carro significa muito para ela.”, finaliza.

(Visited 35 times, 1 visits today)

Deixe seu comentário

Abrir conversa
1
Olá, tudo bem?
Olá, como posso te ajudar?